segunda-feira, 27 de abril de 2009

NA CORRENTE DA VIDA







Tenho ceptro, sou raínha



Dum mundo por inventar.



Meu manto é feito de bruma,



Minha coroa de estrelas



E meus olhos de luar.



Meu nome não sei qual é.



Podem chamar-me Solidão.



Vim na corrente da Vida,



Parei no teu coração.








Leonor Costa