sábado, 18 de junho de 2011

AQUELE ABRAÇO ESPERADO






O abraço que esperei não chegou
Ficou pairando, pairando no ar…..
E dentro do meu coração ficou a esperança
De ainda o poder receber amanhã, depois…
Entretanto, ele paira no ar….
Ele está preso no meu sonho…
Ele é o meu sonho e continuo a sonhar…
O abraço que há-de chegar
Virá aquecer a minha alma
E dizer-me que não estou só,
Que aquele carinho é meu
Chegue ele quando chegar…
Mas virá! É como se já o sentisse
No meio da minha ansiedade

Não deixo de o esperar
Porque aquele abraço é meu,
Porque o meu abraço é teu,
Porque o espero e desejo
Ande lá por onde andar!.....





Leonor
18/06/2011






segunda-feira, 13 de junho de 2011

ORAÇÃO




Olho o céu e olho as flores,

Em tudo há mensagens de amor.


Tudo tem um doce encanto

Pois estás em tudo, Senhor.

Caem as folhas do Outono

Com doce melancolia,

A vida desliza sempre

Hora a hora, dia a dia.

Essa vida que agora passa,

Breve passagem no mundo,

Encheia- da Vossa Graça

E do Vosso Amor profundo.

Guiai-me com vossa Mão

No caminho da Verdade.

Não albergue meu coração

Sentimentos de falsidade.

Que não esqueça o meu irmão

Que trilha o mesmo caminho,

Mas saiba estender-lhe a mão

E tratá-lo com carinho

Que saiba ser resignada,

Bondosa e fiel também.

Entrego-me a Vós, meu Deus,

Protegei-me e inspirai-me, amém.




Escrita em 1970


Leonor Costa




domingo, 5 de junho de 2011

PARA OS AMIGOS







Aos meus queridos amigos que durante muito tempo me acompanharam , peço desculpa pela minha longa ausência .


Não tive condições nem inspiração para escrever por motivo de doença. Graças a Deus já me encontro bem e espero continuar convosco.Obrigada pela vossa amizade. Espero reencontrar-vos.



Um beijo da Leonor



MENINA- POETA

Corpo franzino,
Olhos tristes.
Mãos de criança,
Pequenas e débeis,
De gestos nervosos.
Alma de poeta,
Como flor aberta
Á luz da manhã
Sonhos dispersos
Em rimas e versos
Tão tristes como ela.
Versos que são esperanças,
Descrenças, ilusões perdidas,
Recordações também...
Menina triste,
De gestos nervosos,
De olhos tristes como ela
Que fitam o além...
Menina franzina,
Alma de poeta,
P'ra que procuras na vida
O que a vida não tem?...

Leonor Costa