sexta-feira, 11 de abril de 2008

INVULGARIDADE


"No meu tormento de invulgaridade
Achei-me só, igual a toda a gente".
Os mesmos gestos cheios de ansiedade
O mesmo olhar inquieto ou dolente.


Este querer-não-querer, esta vaidade,
Este andar a fugir, constantemente,
Sem querer encarar a realidade,
Em tudo sou igual à outra gente.

Quisera ser da flor perfume alado,
Poder estar aqui e em todo o lado,
Perder-me em toda a vastidão etérea,


Num mundo só por mim idealizado,
Sem que existisse a dor nem o pecado.
Olhar em volta e não ver miséria.


Leonor Costa
Em 1965

19 comentários:

Alexandre Fonseca disse...

parabens.
perdoe a ingnorancia
mas nunca publicou um livro?
um beijo.

leonor costa disse...

Em primeiro lugar, obrigada pela visita. Nunca publiquei nenhum livro mas confesso que gostaria de ter essa oportunidade!

Um abraço

Sandra Daniela disse...

... E esse mundo existe sim! ... ,as por enquanto nos sonhos que construimos...

bonito poema!

beijinho
bom domingo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Leonor, Lindíssimo Soneto... Bom Domingo,
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Carlos Rebola disse...

Um beijo Leonor
Carlos

Cadinho RoCo disse...

Mas quando queremos conseguimos e para tanto é preciso querer mas querer mesmo.
Cadinho RoCo

elvira carvalho disse...

Muito bonito amiga. Penso que devia pensar em publicar um livro.
Um abraço

Clarice disse...

E quem não, Leonor?
Os sonetos parecem fluir de você com tanta facilidade!
Abraço.

anad disse...

Que bonito e que sensação que eu tive de estar a ler um poema de alguém com um coração lavado, de sol, de criatividade, de afecto.
Bem haja.
Anad

Paula Raposo disse...

Bonito poema escrito há uns anos...obrigada pela visita que me fizeste num dos meus espaços. Aproveito para dizer que o tempo tem sido escasso para visitar todos os que gosto, por isso peço desculpa. Muitos beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Leonor, belíssimo Soneto... Gostei muito... Desejo-te um bom fim de semana!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Não tente me entender... disse...

Obrigada por sua visita!

Seu blog é simplesmente maravilhoso!
Parabéns!

Bjs

Joseph disse...

Leonor
Olá

Passei para te desejar uma boa semana e te dar um OLá muito carinhoso.

Tudo de bom para ti.

Beijinhos ternos, com carinho;)**
(Amanhã faz Sol)

elvira carvalho disse...

Reli o poema. Infelizmente tão actual que nem me tinha apercebido doa 43 anos passados.
Sem tempo para mais, deixo um abraço, e uma chamada de atenção para o dia 24 de Abril.
Uma boa semana

MIMO-TE disse...

Que lindo Leonor! :)
Mas repara se todos nós tivessemos o mesmo sonho, deixaria de ser sonho e passaria a ser realidade! :)))

Bjo
Mimo-te

O Profeta disse...

Total é a loucura do querer
Breve é chama da doce paixão
Total e insubmissa é a verdade
Que emana do teu terno coração

Sigo os passos da tua procura
Queda-se teu corpo nu em melodia incompleta
És instante da bondade dos Deuses
O canto de uma ribeira que o sol desperta


Uma mágica semana


Doce beijo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Leonor, muitos beijinhos de carinho e amizade,
Fernandinha

Nilson Barcelli disse...

Ah... a tua arte e engenho na escrita já vem de longe... por isso tu escreves tão bem... já o fazias de uma forma excelente há 40 anos...!

Bfs, beijinhos.

Paula disse...

Poema lindíssimo!!!

Transmite a universalidade e a intemporalidade dos sentires humanos!

Toda a minha admiração!!
Abraço