quinta-feira, 3 de abril de 2008

OUTRORA


Aquela que eu já fui e já não sou
Perdeu-se nos caminhos desta vida.
Fui primavera que não mais voltou,
Sombra de fumo quase esmaecida.

Recordo todo o tempo que passou,
Sonhos de glória todos já perdi
E a única migalha que ainda ficou
Nem sequer é minha, pertence a ti.

Só esta saudade enorme é toda minha,
Não me abandona por um só momento,
Falando-me de ti a cada passo...

Saudade da saudade que já tive,
Lágrimas silenciosas que deslizam
E caiem, tristemente, em meu regaço.

Leonor Costa/1970

13 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Leonor, o soneto não é poesia nada fácil...
Mas tu dominas muito bem este género poético.

Beijinhos.

Clarice disse...

Uau! Amei !
Um grande abraço e bom final de semana.

jorgeferrorosa disse...

Leonor, que trabalho tão bonito, tão profundo e sentido. Bravo. Gostei bastante.
Fica sempre a questão acerca daquilo que somos... apesar disso, continuamos a sentir. Mil sentimentos de corrompem e descobrimos outros horizontes. Belo.
Bom fim-de-semana.
Abraço
Caderno da Alma

Acordomar disse...

entendi Leonor...
Um grande abraço cheios de beijinhos para ti, linda.
Desejo-te um bom fim de semana**

(eu, tlv volte, mas nao sei quando)

O Profeta disse...

Olá poetiza querida...li e...adorei...!


Doce beijo

elvira disse...

Gostei. Muito. Escrito com sentimento, com garra. Parabéns.
Um abraço

Maria Laura disse...

Muito bom. Arrancado de dentro. Sente-se.

Maria, Simplesmente disse...

Leonor:
Obrigada a sua visita ao meu blog e o seu comentário às minhas fotografias.
Gosto do seu blog, gosto dos seus poemas, passo muitas vezes por aqui, mas que nem sempre o tempo chega para lermos bem e comentar. Penso que consigo sucede o mesmo.
Não sei fazer poemas, mas tento fazer a minha poesia através da fotografia, o que nem sempre se consegue, pois tal como a poesia a fotografia necessita daquele momento especial.
No entanto como penso que a vida, só por ser vida é especial, tento encontrar em cada momento o que existe de beleza.
Os meus parabéns pelos seus poemas.
Bj
Maria

Luis F disse...

Leonor parabéns pelo soneto e pelo perfume das tuas palavras.

Quero agradecer a visita ao meu Mar de Sonhos e as tuas palavras.

Venho conhecer o teu mundo e descobrir assim a beleza das tuas palavras.

Beijinhos
Luis

Maria, Simplesmente disse...

Leonor, todos nós já não somos o que fomos, mas no nosso interior, bem fundo no nosso coração, apesar de grandes saudades, de grandes mudanças de vida, não guardamos sempre um bocadinho, ainda que mínimo, daquilo que fomos?...
Bjs
Maria

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Leonor, li e adorei... tocou fundo no meu coração!
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Berta Helena disse...

Leonor,

É difícil comentar tão belo poema. Sinto que veio do fundo da tua alma.
Parabéns!

Paula Raposo disse...

Tão bonito! Gosto de te ler. Em 1970 fiz 16 anos, já escrevia alguma coisa, mas nada comparado com o que posso ler aqui. Beijinhos.