domingo, 24 de fevereiro de 2008

FAZES-ME FALTA...


Fazes-me falta...

- Quando estás tão perto e tão longe.
- Quando a saudade deixa um travo amargo na minha boca.
- Quando a ansiedade explode no meu peito.
- Quando as minhas mãos geladas precisam das tuas para as aquecer.
- Quando os meus olhos precisam da luz dos teus.
- Quando me sinto um sol de inverno e preciso do teu calor.
- Quando a solidão me esmaga e preciso que a preenchas.
- Quando o silêncio me dói e preciso de ouvir a tua voz.
- Quando os meus sonhos não passam à realidade.
- Quando a casa está vazia da tua presença.
- Quando preciso de ti para ser feliz.

Fazes-me falta.... Fazes-me falta...


Leonor Costa
Em 15.05.2005


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O TEMPO SEM TEMPO

Tenho saudade
Do tempo em que tinha tempo.
Do tempo em que o tempo
Se media em eternidade.
Os dias eram como anos,
Os anos não tinham medida,
Eram uma infinidade.

Tenho saudade
Do tempo em que tinha tempo...

Hoje é mais veloz do que o vento
E passa sem que me aperceba
Que o tempo que deixei lá atrás
É mais longo que o que me resta!
Há muitos anos, nasci,
Em poucos, envelheci
E agora o tempo que tenho
É este: o momento em
Que estou aqui!

Tenho saudade
Do tempo em que tinha tempo...


Leonor Costa
05.12.2007



quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

O VENTO CHAMOU POR MIM

Toda a noite... toda a noite...
O vento bateu à minha porta
Como se me quisesse falar.
Tranquei a porta por dentro
Para o vento não entrar.

Mas o vento não veio só,
Trouxe a chuva por companheira
E não deixaram a minha porta
Toda a noite... a noite inteira...

Refugiei-me em minha cama
E cobri bem minha cabeça
À espera que ele desista
Logo que o dia amanheça.

E se o dia se levantar
E com ele o sol trouxer,
Então assomarei à janela
P'ra saber o que o vento quer.

O vento bate,incessante!
Deixá-lo pois assim bater
Quando despontar o sol
Não o irei mais temer!


Leonor Costa
Em 19.12.2007


quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

DOR SEM FIM

A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo,
Não tem princípio
Nem fim.
Não tem peso
Nem medida.
É uma dor bem sentida
Que magoa cá no fundo...
Eu já senti essa dor,
Já lhe provei o amargor.
Já provei e não esqueci...
A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo
E dói fundo, muito fundo...





Leonor Costa
Em 12.09.83



Ao meu filho Miguel
17.06.72/04.02.76