quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

DOR SEM FIM

A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo,
Não tem princípio
Nem fim.
Não tem peso
Nem medida.
É uma dor bem sentida
Que magoa cá no fundo...
Eu já senti essa dor,
Já lhe provei o amargor.
Já provei e não esqueci...
A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo
E dói fundo, muito fundo...





Leonor Costa
Em 12.09.83



Ao meu filho Miguel
17.06.72/04.02.76





17 comentários:

Sandra Daniela disse...

A dor da perda dói sempre muito... Mas a dor de Mãe... não sei se consigo sequer imaginar...

um beijinho grande

FERNANDA & POEMAS disse...

Querida Leonor, minha amiga essa dor, nunca deve deixar de doer...
deves lembrá-lo sempre em teu coração, mas com um pouco de alegria e não tristeza... Ele olha por Ti.
Deus, tem-no a seu lado!!!
Muitos beijinhos de carinho e ternura.
Fernandinha

MªJosé M. disse...

Das alegrias e dores de mãe, sei um pouco.
Dessa dor sem fim...
Só quem deveras a sente.
(...)

Deixo um beijo

Berta Helena disse...

Tão triste! Deve doer mesmo muito fundo.

Beijinhos e um abraço apertado.

Paula Raposo disse...

Muito bem descrita a dor que fundo e fundo marca para sempre. Muitos beijos para ti.

Pepe Luigi disse...

É deslumbrante apreciar como a Leonor tem um sentimento tão nobre, e por tão nobre ser o queira partilhar connosco.
Do meu lado ao seu lado desta grandiosa e sentida homenagem.
O seu filho velará eternamente por si e compreenderá o seu sofrimento.

Para si um beijinho muito terno
Pepe

gaivota disse...

como te acompanho...
como sei de cor essa dor...
como só poderei dizer
que ser MÃE
tráz tantas coisas,
as melhores e as piores...
um beijo enorme!

mfc disse...

Toma um grande beijo!

Acordomar disse...

Um grd beijo num abraço sentido
tem um uma boa semana Leonor*

Maria Laura disse...

Sou mãe e acredito que nada se pode comparar a essa dor. Imensa, infinda. Um beijo grande para ti.

elvira carvalho disse...

Uma dor sem fim certamente, minha amiga. Os filhos nunca deviam partir antes dos pais. É contra natura...
Um abraço

Patty disse...

É uma dor inigualável. Só sabe quem sente.

Querida, obrigada pela visita. Demorei a retornar o comentário porque fiquei sem conexão alguns dias.

Beijos!!!

Sei que existes disse...

Não sei que te diga... Por isso mando-te apenas um beijo e a idéia de que talvez o Miguel esteja muito feliz...

António disse...

Prefiro não comentar e deixar-te só um beijinho

CR disse...

A última frase deste post terá sido a que mais doeu e a que dá verdadeiro sentido ao poema (lindíssimo). Depois disto, Leonor, o silêncio, porque, não existem palavras.
Um beijinho.

belakbrilha disse...

Minha amiga, quando li isto, uma lágrima caiu!

Não sabia!...deve ser uma dor sem fim!
Eu que sou mãe, espero nunca a sentir, se isso acontecer, que me dei- a força, como a tua!

Um beijinho

redonda disse...

Deve ser uma dor terrível e lamento tanto!
Tenho a esperança de que um dia iremos reencontrar os que perdemos.
um beijinho muito grande