quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

O VENTO CHAMOU POR MIM

Toda a noite... toda a noite...
O vento bateu à minha porta
Como se me quisesse falar.
Tranquei a porta por dentro
Para o vento não entrar.

Mas o vento não veio só,
Trouxe a chuva por companheira
E não deixaram a minha porta
Toda a noite... a noite inteira...

Refugiei-me em minha cama
E cobri bem minha cabeça
À espera que ele desista
Logo que o dia amanheça.

E se o dia se levantar
E com ele o sol trouxer,
Então assomarei à janela
P'ra saber o que o vento quer.

O vento bate,incessante!
Deixá-lo pois assim bater
Quando despontar o sol
Não o irei mais temer!


Leonor Costa
Em 19.12.2007


22 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Brilhante cara amiga. Gostei imenso deste poema.

Fizeste-me lembrar o "Batem leve, levemente, como quem chama por mim".

Este tipo de poesia, parece fácil, mas não é.
Para além da rima e da métrica, é necessário que o poema tenha ritmo e soe bem.
E tu conseguiste esses efeitos muito bem.

Beijinhos.

gaivota disse...

gostei muito do teu poema, aliás como de costume,
muito bem escrito, e o tema do vento,
a mim, também o respeito...
beijinhos

david santos disse...

Olá!
Adorei este poema. O vento é fértil em fazer soar bem os ritmos. Bem, se não fosse assim, não era vento. Era uma coisa estática.
Muito bom.
Parabéns

elvira carvalho disse...

Muito bonito o poema. E quem sabe o vento trazia apenas uma mensagem de amor. Afinal era 14 de Fevereiro.
Bom fim de semana
Um abraço

São disse...

Muito bem!
Tudo de bom!

CR disse...

Há já algum tempo que o tempo me não tem deixado vir aqui. Confesso-me ainda sob o efeito do poema anterior e, por isso, neste momento desejo-lhe apenas um excelente fim de semana.

Maria Laura disse...

O sol virá, brilhante. E fará parar a tempestade. Belo, o poema.

brisa de palavras disse...

Ando por aí perdida no vento que chamou por mim...
Um abraço e obrigada

brisa de palavras

MIMO-TE disse...

Adorei, muito lindo! Escreves maravilhosamente :))

Bjo querida
Mimo-te

Pedra Filosofal disse...

ler este poema ouvindo os passáros... uma combinação por demais perfeita. gostei e vou voltar, seguramente mais vezes.

C Valente disse...

Obrigado pela visita , aqui tambem vou voltar
Saudações amigas

Divinius disse...

Gostei de lee muito bonito*
A LUZ QUE TE DEIXO É DA COR DA MINHA VIDA:)

Menina do Rio disse...

Lindo esse teu poema. E as vezes o vento diz tanta coisa...

Um beijo

Luis F disse...

Vim agradecer e retribuir a visita ao Mar de Sonhos.

Adorei conhecer este mundo. nele bebi das tuas palavras e naveguei em todo o sentimento que espelhas nos poemas.

Gostei muito do que li...

Parabens

A.J.Faria disse...

Olá, leonor!
Nem sempre podemos e devemos refugiar-nos atrás da porta. O vento da vida por vezes pode ter algo a dizer-nos.


Bjs

Alexandre Fonseca disse...

gosto dos seus poemas.
passe no meu "cantinho", e faça a sua critica
:)
bjinhos.

PAULA PEREIRA disse...

Olá, gostei muito de conhecer seu blog. Lindos poemas.
Até breve
Bjs

Paula

O Profeta disse...

Sublime poesia nas asas do vento...


Os meus sonhos emprestaram-te asas
A minha indomável vontade o encanto
Coroei-te com diadema de espuma
Nos umbrais do infinito pensamento

Uma torrente de emoções aguarda-te esta semana

Mágico beijo

Bichodeconta disse...

Bonito poema, ilustrado pela magnifica foto..parabéns, voltarei aqui..

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Leonor, lindíssimo poema.
Parabéns...
Beijinhos de carinho e amizade.
Fernandinha

Maria, Simplesmente disse...

Eu quiz ir visitar a andorinha negra mas a porta estava fechada,
como também gosto de passear ao "Vento", fiquei por aqui e gostei.
Bj
Maria

Berta Helena disse...

Leonor,

As 12 palavras nas Pequenas Coisas.

Beijinhos