sábado, 19 de janeiro de 2008

UM DIA DIFERENTE

Hoje foi todo um dia bem diferente
Em que andavam perfumes pelo ar
E a brisa murmurava, docemente,
Que tu, ó meu amor, ias voltar!

Tudo se transformou. De repente
Voltou a luz da esperança a rebrilhar,
As flores sorriram-me, suavemente,
E o sol aconteceu no teu olhar.

Depois, tudo findou, tudo morreu.
Tiveste-me a teu lado e não me viste,
Partindo sem me teres nos teus braços...

O sol, que ria alegre, escureceu,
A esperança feneceu, fiquei mais triste
E as flores desfolharam-se em teus passos.



Leonor Costa
Em 1970

16 comentários:

Acordomar disse...

Adorei este teu soneto
muito lindo
Tem um bom domingo
Beijinhos*

gaivota disse...

um poema tão bonito
como um dia de primavera
com sol, muita luz
radioso, muito calmo
e depois,
anoitece...
é o ciclo!
beijinhos

MIMO-TE disse...

Um poema lindo e terno
Tal como tu!

Bjo
Mimo-te

O Profeta disse...

O supremo sublime das palavras...


Todos os caminhos têm um sonho
Uma janela é prisioneira da luz
Os caminhos que a chuva percorre são incertos
Nos sonhos és brisa fresca que encanta e seduz





Doce beijo

Maria Laura disse...

Um soneto muito bonito. Haverá muitos dias diferentes. Todos o são, na verdade. :)

Blueshell disse...

Gostei. Beijo em azul
BShell

redonda disse...

Seria melhor se fosse ao contrário, se o sol que escurecia, se alegrasse por ele reparar nela (gosto de finais felizes).
Acho engraçado e bonito quando entramos aqui começar a ouvir passarinhos e reparei pelo perfil que gostamos as duas de músicas dos anos 60 :)
Às vezes venho e não digo nada, porque não sei como comentar poemas, a não ser dizer que gosto :)
Um beijinho

leonor costa disse...

Amiga "Redonda", diz sempre qualquer coisa porque é u prazer saber-te por aqui. Não são precisas muitas palavras, basta-me que me digas isso mesmo: gostei ou não gostei!


Beijinhos!

greentea disse...

há dias assim ...esperamos tudo num só momento e depois essa espera tão ansiada nada nos traz...

um beijo

Paula Raposo disse...

Gostei de te ler. Beijos.

Berta Helena disse...

Fico com pena por as flores se terem desfolhado. Mas a esperança não pode fenecer.
Bonito poema.

Beijinhos

MIMO-TE disse...

Vim deixar-te beijos :)



Mimo-te

Maria Laura disse...

Beijo e um bom resto de semana.

elvira carvalho disse...

Bonito soneto, em que sentimentos tão antagónicos como a esperança e a desilusão, se juntam em rimas harmoniosas.
Um abraço

Maria Simplesmente disse...

E o incrivel acontece!...
Como pode ele não ver tão grande amor?...
Bj
Maria

Florêncio disse...

...angustiante, a solidão de junto a mim te ter... e não te possuir.
Bjs. mts.