segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

AS MINHAS MÃOS

As minhas mãos
Estão velhas e enrugadas...

Minhas mãos são minhas armas
Desde o dia em que nasci.
Ergui-as, trémulas e fragéis
Mas gritei: Estou aqui!
Com elas desbravei florestas,
Com elas derrubei gigantes,
Estrangulei fantasmas,
Derrubei barreiras,
Conquistei instantes.
Com elas agarrei os sonhos
Que a vida me deu p'ra sonhar.
Com elas afaguei e amei meus filhos
Como só uma mãe sabe amar!
Com elas colhi as rosas
Sem ter medo dos abrolhos.
Com elas sequei as lágrimas
Que me escorreram dos olhos!

Nas minhas mãos enrugadas
Que parecem não ter valor,
Tenho um tesouro guardado:
O meu infinito AMOR!


Em 12.12.2007

14 comentários:

MIMO-TE disse...

Maravilhoso!!! :)

Adorei! É assim as nossas mãos...:)


Miminhos

Sol da meia noite disse...

Gostei imenso deste poema onde as mãos contam histórias. Conseguiste pôr as mãos a falar... foi o que senti ao ler.

Obrigada pela visita.
Um beijinho

Nilson Barcelli disse...

Belas mãos.
Que fazem tudo isso e ainda escrevem com tanta mestria. Parabéns pelo excelente poema.
Boa semana, beijinhos.

gaivota disse...

leonor, que lindo poema!
as nossas mãos são tudo isso,
e precisei da mão para limpar aquela lágrima que quiz saltar...
lindo, lindo, lindo
eu gosto muito de "mãos", observo e aprecio-as sempre,
são uma espécie de cartão de visita...!
beijinho garnde
p.s. obrigada pela tua visita

Camilo Rego disse...

Há pessoas feitas de poesia.Você é uma delas, Leonor. Excelente tudo o que aqui nos mostra.
Parabéns.

Elipse disse...

lindas mãos as tuas, leonor.

Peter disse...

Gostei de "As minhas mãos", com elas fazemos tudo: servem tara trabalhar e para afagar, como servem infelizmente para agredir.
Agradeço a tua visita ao n/blog, a primeira e como ando numa fase de renovação dos links, pois não gosto de ter muitos, vou incluir o teu, se não te importas.

Bom Natal

A COR DO MAR disse...

Muito bonito Leonor

Que tenhas um Santo Natal

Beijinhos

António disse...

Olá, minha querida!
Com que então um blog de poesia, hein?
Mas que surpresa!
Voltarei com mais calma...

Beijinhos

elvira carvalho disse...

Belo poema, sobre as mãos.Na verdade as nossas mãos, são a expressão da nossa alma.Um abraço e UM BOM NATAL

Isabel-F. disse...

Leonor,

Não há limites para o homem que possui a capacidade de sonhar. É necessário muito pouco para provocar um sorriso e basta um sorriso para que tudo se torne possível.
Descobrimos que o Ano que termina vale a pena, quando começamos a enviar e receber os cartões de Natal. Afinal, de algum modo, aprendemos que o que realmente importa são os sentimentos, é o amor... É estarmos ligados, unidos. É isto que comemoramos: O nascimento da esperança de um mundo melhor. Muita paz, alegria e amor na tua vida e de todos que te são queridos. Feliz Natal! Feliz 2008.
Beijinhos
Isabel Filipe

Amaral disse...

Obrigado pela visita o que proporcionou vir aqui descobrir um espaço de poesia muito, muito interessante...
Este poema é uma prova de que "com as mãos se conquistam instantes"!
Um Natal Feliz, com muita saúde, paz e harmonia na tua vida!

Menina do Rio disse...

Quanto cabe na palma das mãos!

Mãos de seda, calejadas
mãos amigas
que amparam
mãos que dedilham canções
mãos que se afagam
em toques de magia
sintonia...
mãos que agridem
em fúria
mãos que se erguem em preces
mãos que abarcam o mundo
quando o mundo cabe
na palma das mãos...

Obrigada pelo teu carinho lá no meu Recanto!
És muito bem vinda!
Um beijo.
Menina do Rio

Beijinho e desejos de Boas Festas!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Leonor, belo poema.
Deixei-te uma prendinha no Fotos-Fernanda.
Muitos beijinhos,
Fernandinha