segunda-feira, 19 de setembro de 2011

ENTRE O SONHO E A REALIDADE


Entre o sonho e a realidade
Debato-me com a vontade
De voltar a ser criança.
De ver teus olhos, meu pai,
Que há tantos anos não vejo
Tão doces e carinhosos,
Tão cheios de amor por mim….
Que saudades eu tenho
Das minhas brincadeiras,
Dos meus risos, da minha inocência!
Teus braços eram o paraíso
Onde adormecia cansada…
Depois, com amor,
Levavas-me para a caminha,
Um ninho de andorinha
Onde eu me aninhava.
Que saudades eu tenho
De voltar a ser essa pessoa
Tão alegre, tão diferente…
Hoje já não tenho os teus braços,
Nem teus beijos e carinhos,
A minha maior riqueza….
Muitos anos já passaram
Sobre o dia em que partiste….
E quão sozinha me senti então.
Partiste… mas não morreste!
VIVES NO MEU CORAÇÃO!

Leonor
19.09.2011

5 comentários:

elvira carvalho disse...

Bela homenagem a seu pai, minha amiga.Decerto no plano espiritual em que se encontra, ele se sentirá orgulhoso de si. Também tenho tantas saudades do meu.
Deixo um abraço e desejos de boa semana

octávio disse...

Quando o sol se deita e a lua espalha seu manto de prata também eu fico pensando nos meus pais que continuam a viver no meu coração
Este sim é um amor verdadeiro e sublime a que a Leonor consegue dar vida com as suas palavras cheias de sentimento
"Partiram mas não morreram"
Lindo poema
Linda e comovente homenagem
Um abraço para a mulher valente e que sabe vencer e bem os desafios da vida

Tânia Gama disse...

Parabéns pelo poema e pela arte de escrever!
Bjs.

Tânia Gama disse...

Parabéns pelo poema e pela arte de escrever!
Bjs.

redonda disse...

Achei muito especial e bonito o seu blog, pelas palavras e pelas imagens, lindíssimas. Por isso tornei-me seguidora.
um beijinho
Gábi