segunda-feira, 10 de agosto de 2009

QUE IMPORTA...

Tenho saudades...
Que importa
Se bates à minha porta
E não vens para ficar?
Somos vidas paralelas
Que nunca se vão encontrar...
Quantas vezes passas por mim
Fingindo que não me vês...
Sendo assim não esperes
Que corra p'ra ti outra vez!
Tive saudades...
Que importa
Se batias à minha porta
E não vinhas para ficar?
Vê tu, a vida é tão breve...
É uma brisa passageira
Que não podemos deter...
Um dia bates-me à porta
E já não estou cá p'ra te ver!
Leonor Costa




19 comentários:

neli araujo disse...

Lindo teu poema, Leonor!

Muito lindo, mesmo!

Já passei por tudo isto aí, hehehe

Não é fácil...

Um abraço,

Neli

elvira carvalho disse...

Muito bonito o poema. Mas como todos os que falam de saudades e desencontro de sentimentos um pouco triste.
Um abraço e tudo de bom

joaninha disse...

Muito bonito!
Como a saudade, sendo tão triste inspira a tanta beleza.
Gostei deste poema e até poderia dizer que fora feito para mim. Belo! Continue amiga, pois escreve coisas muito bonitas. Mil beijinhos

*** Cris *** disse...

Olá,td bem?
Lindas palavras, lindos sentimentos.
Bjs!

elvira carvalho disse...

Amiga, a festa hoje é no Sexta. Passe por lá e junte-se a nós.
Um abraço e fico à espera.

Luis F disse...

Mais um lindo poema aqui encontrado, onde as palavras carregam aromas doces.

Parabens

Luis

Al Mutamid disse...

Importa sim

Mais uma vivência neste teu lindo poema cheio de palavras carregadas de dor e alegria, de amor e sofrimento

Palavras que umas vezes unem, outras separam;

Às vezes acariciam, outras vezes maltratam;

Quantas vezes ensinam e aproximam,
enfim, as palavras, escritas ou faladas, fazem importantes revelações sobre quem as profere.

Recordo que até o silêncio é um importante instrumento da palavra.

Quantos silêncios e ausências são fruto das desventuras da vida.

Como o mundo é cruel para quem ama!
Beijinho doce, companheira Leo desta longa peregrinação

joaninha disse...

A saudade veio para ficar
porque partiste sem te ver...
Voaste gaivota, rumo ao Mar,
e eu com saudade vou morrer...

Inspiradora esta bela poesia, que sempre que a leio ,ais ,e inspira.

Mil beijos e parabens

Jacarée disse...

Saudade!
Saudade de te ver;
Saudade de te amar;
Saudade de te sentir;
Saudade de te ouvir;
Saudade de ser jovem;
Saudade é como a sede;
Como a fome só é saciada depois de se beber...
Saudade é não saber cesar o pensamento
Saudade é vencer a dor dos silêncios...
Bom poema
Feliz fim-de-semana.

Miguel disse...

A vida podia ser tão bonita se as pessoas não viessem logo para a complicar. Será que tudo seria mais simples se simplesmente agíssemos antes de pensar? Revejo-me nessas palavras bonitas mas tristes. Porque será que as relações entre as pessoas são tão difíceis, cheias de duvidas e mal-entendidas, de vitórias e derrotas onde todos se deveriam deixar render aos sentimentos. A vida é tão curta e mesmo assim perdemo-nos sempre por atalhos que não chegam a lado nenhum. Um bj e tudo de bom.

joaninha disse...

Minha amiga, voltei a ler este poema e a verdade é que o sinto de maneira diferente cada vez que o leio. A saudade é uma dor que vai matando lentamente até à destruição final... será que é mesmo necessário sentir saudades? Não serão as saudades apenas fruto da nossa imaginação?
Escreva mais minha amiga. Beijinhos

Passaro Azul disse...

Uma maravilha este poema e também todos os outros que encantada estive a ler e reler.
Parabéns por este "Hoje e Amanhã" que élindissimo.
Grata pela visita às minhas Ilhas Encantadas, que me fez conhecer-te e certemente passar por aqui mais vezes.
Um abraço com carinho e Amizade

Clarice disse...

Voltaste a escrever. E com tamanha saudade! Tal como a minha.
Beijos.

Vânia Pereira disse...

Visita o meu blog e diz o que achaste...
Espero que gostes e divulgues aos teus amigos :)
http://orimoda.blogspot.com/

Podes comprar ou ganhar dinheiro!
Informa-te :)
beijinhus

Miguel disse...

Amiga, ainda que a sua ausência nos deixe agarrados na expectativa de novas e enleantes palavras com que por norma nos encanta, ela tem servido para descobrir um pouco mais deste espaço que não deixa de me surpreender e cativar, em cada poesia, em cada rima sentida. Um abraço e quando puder passe no Lado B. Obrigado.

Gabi disse...

Leonor, gostei muito do seu poema, e, principalmente adorei o seu blogue. Já percebi que também é fã de Clarice Lispector, parabéns pela escolha.

A.J.Faria disse...

Olá, Leonor!
Espero que esteja tudo bem contigo.

O teu poema é lindo, e só transparece a tua sensibilidade, o teu sentir!

Tudo na vida é transitório, o bom e o mau!

Abraço,

El Monti disse...

Não te esqueças...
Na minha terra a porta está sempre aberta.

Vem sempre
em qualquer dia
e a qualquer hora
serás recebida de braços abertos

A tua poesia é linda

belakbrilha disse...

A vida é tão breve...
Que importa...
Vive... simplesmente
intensamente


bjs