domingo, 9 de março de 2008

UTOPIA


Dar largas ao pensamento e à fantasia,
Imaginando a vida um sonho belo e sem fim
Onde a finalidade de cada dia
Fosse eu viver para ti e tu para mim.

Saciar a sede num raio de luar,
Alimentar-me de beijos e abraços
E, quando fatigada, ir repousar
No ninho aconchegado dos teus braços.

Esquecer maldades e vãos ideais,
Viver do amor e para o amor somente
Esquecendo deste mundo o desengano.

Do meu sonho belo não despertar jamais
E embalada no teu peito, ternamente,
Deixar passar o tempo, ano após ano...

Leonor Costa
05.05.1970

11 comentários:

Menina do Rio disse...

Acho que é isso que todos queremos! Viver sonhos, viver o amor...Sem maldades, sem dor.

Lindo soneto!

um beijinho pra ti e votos de uma semana cheia de amor

elvira carvalho disse...

E se a vida fosse um eterno e feliz sonho? Não morreriamos de tédio?
Gostei do soneto.
Uma boa semana
Um abraço

Clarice disse...

Lindo. Difícil é encontrar o equilíbrio entre esse sonho e a realidade nem sempre tão generosa.
Abraços.

Oliver Pickwick disse...

É de fato uma utopia, prezada Leonor. Um amor incondicional e eterno. Deveria ser sempre assim, não é mesmo? Quem sabe, um dia?
Beijos!

Nilson Barcelli disse...

Belo soneto.
E devemos perseguir a utopia... ainda que seja muito difícil ou até impossível de a atingir.
Porque o que interessa é o caminho e não o ponto de chegada.

Bom resto de semana.
Beijinhos.

JOSÉ FARIA disse...

Olá querida amiga "Andorinha" das noites de poesia!
Vim dar largas ao pensamento e à fantasia e... à descoberta enquanto aguardava a tua chegada.
Como tardava, encontrei-te. Já o podia ter feito se fosse mais atento e curioso e abrisse os links para os blogs que estão no "momentos" do nosso amigo José Gomes.
Mas pronto, mais vale tarde do que nunca.
Fica bem.
Gostei muito de te descobrir, pois aqui há muito para se ler com prazer.

Vou levar seguidinho os restantes Blogs e deles criar links no zemaiato.
Beijos e... até já, amais um serão de poesia.

Berta Helena disse...

Esse é o sonho de quase todos, penso eu. Como gostaria de nos seus braços esquecer as maldades e deixar passar o tempo... Penso nisso muitas vezes. E deixo-me ficar enquanto posso.
O teu poema é uma beleza.

Beijinhos, Leonor.

Maria Laura disse...

Uma utopia, na verdade. Mas porque não sonhar?
Belo soneto.

Odele Souza disse...

Leonor,

Teu poema é lindo. E que bacana teres colocado a data: 1970. Quanto tempo não é? Gosto de ver a data registrada no que fazemos. Voltar no tempo...

Bom fim de semana para ti.
Um beijo.
Odele (com L e não com T como às vezes escreves - rsrs)

Sandra Daniela disse...

Todos queremos um amor assim...todos sonhamos assim... mas a realidade... essa , muitas vezes é bem diferente!

P.S. desculpa o pessimismo... :-)Mas o poema em si é lindo, alias como todos os que leio por aqui!

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom domingo

Doce beijo