segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O MILAGRE DO SILÊNCIO

Abriram-se as portas do Palácio do Silêncio
E o Silêncio saíu invadindo toda a terra.
A natureza entoou um cântico de paz,
Calaram-se, para sempre,
As armas e os clamores de guerra.
O chão ressequido floriu
Por sobre um tapete verde de esperança!
Os seres alquebrados ergueram suas faces
E deixaram-se envolver pela bonança.
A terra, planeta azul, entristecido,
Agora já tem no rosto um sorriso!
Meu Deus, como seria bom
Adormecer neste inferno que é a vida,
Para acordar, feliz, num Paraíso!

Leonor Costa

Em 12.2008

Este poema está a ser postado pela 2ª. vez porque foi eliminado. Perdi os vossos comentários e gostava de tê-los novamente, se possível. Obrigada.

5 comentários:

*** Cris *** disse...

Água ,terra, Deus, paraíso...lindo texto!
Bjs!!!

Heavenlight disse...

Eu adoro os seus poemas, e este não é excepção! Seria bom que viesse o Silêncio e calasse toda a amargura, pobreza e violência que há no Mundo. Seria bom que todos escutássemos o ruído do Mundo e percebessemos o quanto é importante sorrir, darmo-nos as mãos e sabermos viver enquanto andamos por cá...
Um beijinho*

Moderno disse...

O silêncio do nosso coração diz mais que milhares de conversas inúteis

Bj e abraço para a acompanharem por todo o ano de 2009

joaninha disse...

Como a nossa imaginação permite que divaguemos pelo mar do sonho!...
Está lindo este poema. Que possamos acordar um dia nesse tal Paraiso...
Beijinhos e Boas Festas

AnaMar (pseudónimo) disse...

Gostei de passar por aqui, das palavras belas e alegres, do sentimento acolhedor que transmitem.
Voltarei.